Regras para reembolso de passagens aéreas

Recentemente o governo editou a medida provisória que prorroga até outubro de 2021 as regras de reembolso de passagens aéreas estabelecidas durante a pandemia, visto que houve pouca modificação do estado epidemiológico no país.

Entretanto, embora tenha sido prorrogado a validade da medida, se manteve os critérios definidos anteriormente, dentre eles:

1. Reembolso em dinheiro: cada companhia aérea tem seu processo próprio para retornar o dinheiro ao consumidor, mas todas estão obrigadas a devolver o dinheiro de voos cancelados até 31 de outubro de 2021, se o cliente assim quiser. O prazo de devolução é de 12 meses, contados a partir da data da viagem que não aconteceu. 2. Desistência de Voo: Se, em vez de cancelamento, o passageiro desistir de fazer a viagem, são aplicados os mesmos prazos para reembolso das passagens. A diferença é que a empresa está autorizada a cobrar encargos que estiverem previstos no contrato de prestação de serviço. Mas, se o cliente optar por remarcar a passagem, não pode ser cobrada nenhuma multa. A única obrigação do cliente é manter "as condições aplicáveis ao serviço contratado", o que significa manter o destino da viagem. Fique atento aos seus direitos. Gostou? Curte e compartilhe.

Fonte ANAC

whatsapp-logo-icone.png